5 dicas para ter dinheiro no bolso em 2019

Saiba como organizar suas despesas para não deixar que os gastos de dezembro influenciem em seu 2019

As compras de natal, as festas de fim de ano, a rematrícula dos filhos na escola, os gastos com a manutenção do carro, etc., são bem comuuns para a grande parte dos brasileiros já começarem um novo ano com uma série de dívidas acumuladas do anterior.

O economista Humberto Carneiro deu uma entrevista ao Infomoney conversou com para saber qual a melhor forma de se planejar financeiramente para 2019 e como não deixar os gastos de dezembro influenciarem todo o ano seguinte.

  1. Colocar a casa em ordem literalmente
  2. Após negociar as dívidas, Carneiro aponta que é importante “olhar para a infraestrutura de funcionamento de sua casa, e conferir se há alguma reforma necessária.”

    Dedetização, limpeza de caixa d’água ou troca da pintura são coisas que podem prejudicar a saúde de quem vive no ambiente, por isso devem ser gastos prioritários.

  3. Quitar dívidas
  4. Para utilizar a renda extra do 13º salário da melhor forma é importante fazer uma lista de prioridades, segundo o economista. “Em primeiro lugar deve estar ‘negociar algum tipo de dívida’, caso haja um conjunto grande de dívidas, o ideal é zerar a mais cara.”

    Também é possível aproveitar o começo do ano para sentar com o gerente do seu banco e pedir uma linha de crédito adequada para renegociar o cheque especial, por exemplo.

  5. Entender qual sua relação com o dinheiro
  6. Autoconhecimento é um ponto fundamental para uma vida financeira saudável. “O caminho é entender como você se relaciona com o seu dinheiro, se é mais impulsivo, controlado ou conservador, se tem tendência a gerar gastos sem pensar e, depois disso, começar a planejar.”

    Fazer um planejamento financeiro pode ser chato e trabalhoso, especialmente para aqueles que não tem o hábito de controlar as despesas. Para o economista, nestes casos deve-se investir algum recurso para ter a orientação de alguém.

    “Tentar se planejar sem ajuda é como pagar uma academia e não ir. Muitas vezes é necessário contratar um ‘personal trainer financeiro’ e adquirir o hábito de uma vez a cada 15 dias, ou uma vez por mês, parar para analisar os gastos e saber o que está acontecendo com seu dinheiro.”

  7. Lembrar dos pequenos gastos
  8. Ao fazer um planejamento doméstico é comum que se tenha uma tendência ao otimismo. Isto é, superestimar as receitas e subestimar os gastos.

    “No geral, as pessoas deixam de fora do orçamento o jantar em um restaurante ou a roupa comprada por impulso, não veem isso como despesa. Ter disciplina, avaliar francamente e estabelecer metas razoáveis são os pontos principais para um bom planejamento.”

  9. Investimentos
  10. Um investimento é um gasto que gera uma receita futura. “Comprar um abajur novo, por exemplo, tem a função de embelezar a casa, mas não gera receita”, explica Carneiro. “Entrar em um mestrado, fazer um pós ou começar um MBA é um investimento que tende a melhorar sua receita futuramente.”

    Para o economista, deve-se diversificar os investimentos. Ou seja, investir uma parte do seu dinheiro em renda fixa, outra em renda variável, ações, ouro, dólar, e outros títulos. “Ter aconselhamento financeiro é fundamental para que a pessoa conheça bem quais são os tipos de produtos disponíveis no mercado e qual é o mais adequado para o seu perfil.”

    Outra opção interessante para o começo do ano, segundo Carneiro, pode ser começar a investir em uma previdência privada.

E você, o que pensa a respeito deste tema? Deixa a sua opinião.

Até mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA *